Campus Party Brasil 2008 – O Começo

Primeiro dia de campus party (campusparty), depois de um tempo razoável na fila, e felizmente menor do que seria graças à uma mensagem no Twitter que fez o Primo pedir para o Rafael me encontrar, entrei e descobri que as coisas ainda estavam um pouco bagunçadas. Começando pela confusão na hora de distribuir as credenciais, não sabiam qual sobrenome estava sendo usado e várias pessoas acabaram tendo que esperar em uma fila bem longa para tirar novas fotos.

Problema resolvido, fomos direto cadastrar nossos computadores pra em seguida encontrar nossos lugares ao sol, ou barracas sem luz mas tão quentes quanto qualquer verão. Novamente sem problemas, é tudo bagunça, certo? Muita bagunça e muita gente no dia um dos futuros seis. Nesse mesmo dia acabei birrando um pouco com o fato do parque do Ibirapuera fechar à meia-noite, saímos pra tomar uma cerveja e a volta foi quase uma maratona para ninguém ficar do lado de fora.

Ótimo, depois da maratona cheguei no evento de novo para descobrir que o excelentíssimo ministro da cultura estava fazendo um discurso em que a cada dez palavras DOZE eram ensaiadas. Piorando tudo ele ainda usou criou a expressão "bandalargar" o Brasil, para mim foi quase um trocadilho infame. Legal, não posso fumar, não posso beber e provavelmente nem falar palavrão aqui dentro, mas pode ter uma guria pelada semi-nua sambando de um lado para o outro.

Depois de tudo isso, aquela coisa de raiva e alegria ao mesmo tempo, uma boa noite de sono foi bem merecida. Nem tão boa, mas foi sono.

Segundo dia mais interessante. Várias outras pessoas novas e o evento começando a encher mais ainda. Finalmente os blogueiros começam à encontrar seu lugar ao sol . Várias entrevistas rolaram graças à isso e até um bar/blog/anti-camp aconteceu com alguns assuntos bem interessantes e que infelizmente não pude acompanhar completamente.

A grande virada foi com o anoitecer, ou amadruguecer graças ao horário. Depois de muitas tentativas de truco fracassadas, a Kaká e o Rafael decidiram procurar pessoas tatuadas pelo evento para serem fotografadas. Perfeito, ótima oportunidade para conhecer pessoas novas e ainda patrocinar um concurso que eu realmente acho legal (se quiser dar uma olhada, visite a galeria no Flickr).

Com tanto auê, finalmente conseguimos um truco um pouco estranho e com várias diferenças regionais, mas que apesar de tudo foi divertido e até mesmo produtivo. Bagunças à parte, finalmente saiu um artigo por aqui. E com isso tudo não posso deixar de ressaltar alguns momentos memoráveis desses dois dias em fotos:

Kit do Campuseiro

Entrega do Kit-Cortesia do Campus Party Brasil

Hacker Não é Cracker

Stand do Hackerteen

Rafael e sua bandeira

Rafale Apocalypse e sua bandeira de protesto à oferta da Microsoft

DSC00851

DSC00852

E pra melhorar tudo, Caio e seus amigos pedindo abraços grátis e agora com o IssoMesmo apoiando 🙂

Uma ideia sobre “Campus Party Brasil 2008 – O Começo”

  1. Haja fotos prá tirar agora, fala sério!

    Tomara que o CP ajude a promover meu blog: TORCE, TORCE! haUahUhaUhaUhuaHA

    Beijoca

    P.S.: BONITO COTURNO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *