Como fazer uma Greve

O primeiro ônibus que vi hoje mesmo com a Greve
O primeiro ônibus que vi hoje. mesmo com a greve

Segunda, 22 de fevereiro, primeiro dia do calendário oficial do Brasil. Sim, a primeira segunda depois do Carnaval. O ano começa com uma novidade em Belo Horizonte: Os ônibus estão em greve. Ótima idéia, os motoristas e cobradores não estão satisfeitos com seus salários e condições de trabalho, querem negociar e melhorar um pouquinho suas vidas. Apoio totalmente eles quererem melhorar, mas porque o problema deles tem que virar meu?

O calor em Belo Horizonte está infernal e uma greve de ônibus me obriga a vir à pé até o escritório. Tudo bem, moro perto, mas reclamo. E a Mariana, que trabalha comigo e mora longe? Fica em casa. Eu sou um chefe legal, entendo esse tipo de problema, até porque a culpa não é dela. Mas como ficam as pessoas que simplesmente não podem ficar em casa?

Os sindicatos em geral parece que se esqueceram como ganhar a simpatia da população e fazer uma greve que funcione para todos. Vamos entender então como está funcionando esta greve dos ônibus:

Gráfico explicando porque a greve não funciona

Certo, motoristas de ônibus não são famosos por sua gentileza, quando o Zé Serafim, carpinteiro que pega ônibus as 4h da manhã para chegar ao trabalho, for demitido porque faltou ou chegou atrasado, ele não vai pensar “Malditos patrões que não atendem o que os motoristas e cobradores querem”. O que vai passar pela cabeça dele é mais ou menos algo como “Motorista de ônibus fdp, fica vagabundeando e eu que perco o emprego”. E eu não tiro a razão do Zé Serafim.

Professores da rede pública quando fazem greve normalmente fazem a mesma coisa, prejudicam os alunos e pais e não conseguem apoio algum. Viram os vilões.

Indo um pouco mais longe, podemos pensar que talvez fosse melhor uma greve uma pouco diferente, uma greve que não afetasse quem depende desses serviços e sim quem gerencia estes profissionais. Por que não remover a catraca dos ônibus e circularem normalmente? A população é atendida e apoia a greve, os gestores prestam mais atenção no problema e buscam uma solução mais rápida e finalmente, os motoristas e cobradores tem suas reivindicações atendidas.

A solução para uma boa greve parece simples demais? Ela provavelmente é. Imagino que basta olharmos quem deve ser atingido com a greve para que ela seja eficiente e rápida. E por favor, ignorem os problemas legais de ônibus circulando sem catracas, já houveram greves muito mais sérias e que prejudicaram muito mais do que dinheiro.

Vamos à greve! Lutar pelos direitos do trabalhador, mas trabalhando por favor.

7 ideias sobre “Como fazer uma Greve”

  1. Olá Pedro,
    Muito legal seu post. Faltou falar sobre a viabilidade do reajuste não é?
    Vamos lembrar que a passagem não aumentou esse ano e que o reajuste foi oferecido de acordo com a inflação (4,4%).
    O que eles querem um reajuste de 37%… Ta certo isso?
    Até aonde sei o salário mínio sofreu reajuste de quase 12% e ele está na frente de todos os outros reajustes salariais do País.
    Porque eles se acham no direito de pedir 37%? Os motoristas ganham aproximadamente 1500,00 (em CLT) + benefícios. Conheço muita gente que não ganha isso e nem por isso fazem questão de ferrar a vida das outras pessoas.

  2. Eu realmente não quis entrar no mérito do valor do reajuste. Meu único problema é com pessoas que não tem NADA com o problema deles serem prejudicadas….

  3. Achei interessante o seu post, e acredito em quase tudo que você falou. Porém, acredito também que existem regulamentos que abonam a falta do trabalho em casos especiais – como essa greve. O mesmo aconteceu na minha faculdade – ontem, tinha professores que utilizam o sistema público de transporte, que não conseguiram chegar à faculdade. E também houve vários alunos que não chegaram lá. A falta foi abonada pra ambos.
    Abraços.

  4. É por causa dessa cultura do:”O que eu tenho a ver com isso”que a união entre trabalhadores não dá certo.Vamos esperar que os patrões cedam sem pressão.

  5. Eu fui ” vitima ” de uma greve de onibus e metro em Sydney Australia. A greve era assim:

    Catracas liberadas para todos. TODO MUNDO ANDOU DE GRACA POR 3 DIAS.

    Isso e’ que e’ greve de gente inteligente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *